Levantar, junto à classe produtora da região, os dados técnicos sobre a cultura do café para a administração de riscos de preços, de custos e de produção na propriedade rural, a fim de facilitar a tomada de decisões e garantir a rentabilidade. Este foi o objetivo de um encontro entre cafeicultores do Oeste da Bahia e profissionais do Centro de Inteligência em Mercados (CIM), da Universidade Federal de Lavras (UFLA/MG), na última quinta-feira, 14, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais, em Luís Eduardo Magalhães.

A iniciativa faz parte do projeto Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que tem a tarefa de gerar dados por meio da elaboração de indicadores de conjuntura e de desempenho nas mais diversas culturas agrícolas, em parceria com o CEPEA/ESALQ, o PECEGE/ESALQ e a UFLA/CIM. Esses painéis são realizados nos municípios representativos na produção agropecuária – um procedimento que confere maior agilidade e versatilidade na atualização mensal dos dados referentes aos preços dos insumos e dos custos de produção.

Mais do que gerar informações, o projeto alia também a capacitação do produtor rural, realizada por instrutores do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).  Os produtores rurais aprendem, de forma prática, a elaborar o orçamento e o custo de produção da sua propriedade, além de utilizar instrumentos para o gerenciamento de riscos de preços, como derivativos agropecuários ou de produção e o seguro rural.

Conforme explica o coordenador de pesquisa e serviços em gestão no CIM, Diego Humberto de Oliveira, este trabalho vem sendo desenvolvido desde 2008 com a cultura do café e é de suma importância, visto que deve beneficiar toda a cadeia produtiva da cafeicultura. “Tivemos um painel excelente, com discussões técnicas bem fundamentadas e que representam a realidade do município. Essas informações adquiridas hoje são fundamentais, pois vão ajudar os produtores rurais na condução dos seus negócios. Essa difusão serve, também, para a discussão e aprovação de novas políticas públicas. A CNA se baseia nesses dados”, disse.

abacafe_sindicatorural_lem_oestedabahia_encontro

O presidente da Associação dos Cafeicultores do Oeste da Bahia (Abacafé), Marcos Pimenta, comentou com otimismo o balanço do encontro. “Nosso objetivo aqui, hoje, foi o de compor uma planilha de custos do café do Oeste da Bahia, em parceria com o CIM/UFLA, CNA e Sindicato Rural. Este levantamento de custo será realizado em todas as regiões cafeeiras do Brasil, como Minas Gerais, Paraná, São Paulo, Bahia e Rondônia, e vai nos dar um comparativo de custo em todas essas regiões”, disse.

Informações estratégicas

A partir deste encontro, os produtores de café da região terão à disposição uma série de informações estratégicas, em um completo banco de dados do setor agropecuário, que demonstrará a evolução sistemática dos custos de produção e da rentabilidade. Estes dados são obtidos e difundidos em quatro ações: realização de painéis para identificação dos sistemas e coeficientes de produção, desenvolvimento de indicadores (informações de custo de produção e rentabilidade das culturas agrícolas e da pecuária nos estados), criação de um Sistema de Informação, para consolidação das informações geradas pelo projeto, de forma acessível ao produtor e ao público em geral e, a divulgação de publicações com análises e relatórios setoriais de desempenho da agropecuária brasileira.